terça-feira, 16 de junho de 2009

de amor e outras delicadezas...

Está bem, eu confesso que já vi Moulin Rouge tantas vezes que perdi as contas... De qualquer maneira, esta noite tive aquela vontade imensa de assistir umas partes que considero as mais lindas do filme. Claro que não consegui ver apenas o planejado.

O problema é que eu não havia me preparado pra depressão que esse maravilhoso filme me dá. Então, na metade da história, rios de lágrimas rolando incansavelmente, meu marido entra no quarto falando e pedindo o jantar! Gente! Vocês têm noção do estraga-prazeres que isso representou no meu filme preferido! Eu olhei pra ele, olhos completamente molhados de lágrimas, nariz fungando e disse que ele era muito insensível por não me deixar assistir a morte da Satine e o desespero do Christian e ficar mais e mais deprimida. Daí ele me olha seriamente e diz: "mas olha que bacana, daqui a pouco, quando você colocar o filme do início, ela estará viva de novo!". Sim, claro!, como ele é sensível!!! Mesmo com todos os planos dele pra acabar com minha depressão, voltei a assistir meu Moulin e respirei fundo quando o ouvi sair e bater a porta. Finalmente pude chorar sozinha. Espera! Sozinha não, que o Christian estava lá comigo.

Um comentário:

Khalil disse...

Tenha vergonha!!! Falando mal do marido no bloggggg!! rsrs
te amo!

 
;